Polícia

Preso foragido há 26 anos por atirar em homem após briga por capote

A Polícia Civil prendeu nesta quarta (3) um homem de 47 anos identificado apenas pelas iniciais C.D.S.S. por uma tentativa de homicídio que aconteceu em 1998 no município de Buriti dos Lopes, que fica localizado a cerca de 300 km de Teresina.

Segundo a polícia, o suspeito e a vítima teriam se desentendido após o suspeito ter matado um capotes do dono da fazenda onde moravam. Após ser reclamado pelo colega, ele teria efetuado o disparo de espingarda nas costas da vítima. A vítima foi atendida no hospital e se recuperou.

Ainda conforme a polícia, havia um mandado de prisão contra o homem. A prisão ocorreu no povoado Piçarreira, na zona rural do município de Caxingó. A ação foi realizada por meio da Delegacia de Buriti dos Lopes em operação conjunta com o Grupamento da Polícia Militar do município de Caxingó.

O crime

O crime aconteceu no dia 06 de setembro de 1998 em uma fazenda. Segundo os depoimentos das testemunhas, tanto o indiciado quanto a vítima eram moradores da referida fazenda. De acordo com o delegado Herbster Santos, consta que o motivo do delito foi fútil, sendo a morte de um capote, provocada pelo indiciado, sem a permissão do dono da ave, o proprietário da fazenda. Ao ser reclamado pela vítima, o indiciado efetuou um disparo com uma espingarda atingindo-a pelas costas, na região da cabeça, além de acusá-lo de furto de R$ 20. Quando recebeu o disparo, a vítima caiu e, ao se levantar, foi novamente perseguida pelo suspeito, armado com um facão. A vítima conseguiu correr e se escondeu na casa de um amigo, que o levou para o hospital local.

Ainda segundo o delegado Herbster Santos, o preso, antes réu, se escondia em várias localidades desde a época do crime para não ser alcançado. “A captura ocorreu após os policiais obterem a informação da localização do homem, no povoado Piçarreira, na zona rural de Caxingó, e realizarem campanas e um cerco no local. Agora ele será transferido para o sistema prisional onde irá permanecer até nova decisão judicial”, completou o delegado.

Fonte: Cidade Verde

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo